segunda-feira, 8 de fevereiro de 2021

Câmara de Dracena - 2ª Sessão Ordinária



PAUTA PRÉVIA DA 2ª SESSÃO ORDINÁRIA
REQUERIMENTOS
REQUERIMENTO N.º 039/21, de autoria da Vereadora Sara dos Santos Scarabelli Souza, de Voto de Profundo Pesar pelo falecimento do Senhor Silvio Augusto, ocorrido em 03 de fevereiro de 2021.
REQUERIMENTO N.º 042/21, de autoria do Vereador Rodrigo Castilho Soares, de Voto de Profundo Pesar pelo falecimento da Senhora Iraci Pereira de Moraes, ocorrido em 03 de fevereiro de 2021.
REQUERIMENTO N.º 035/21, de autoria do Vereador Davi Fernando da Silva, solicitando ao Prefeito que nos informe: - Há previsão para pavimentação da Marginal José Dansieri a partir do nº 935, em sentido Junqueirópolis a Dracena? Por se tratar de trecho não pavimentado, onde há várias empresas que sofrem com a falta de pavimentação, já que pela via circulam muitos veículos pesados.
REQUERIMENTO N.º 036/21, de autoria dos Vereadores Davi Fernando da Silva e Sidnei da Silva Contelli, solicitando ao Prefeito informações relativas ao Pronto Atendimento Municipal (PAM): 1. Quantos médicos estão contratados para atendimento no PAM? Enviar lista com os nomes de cada um. 2. Qual o regime de contratação? Enviar cópia do contrato. 3. Dentre os funcionários que trabalham no PAM, listar quais são concursados e quais são terceirizados. 4. Solicitamos que nos encaminhe e também disponibilize no site da Prefeitura Municipal de Dracena o(s) contrato(s) existente(s) entre o Executivo e a(s) empresa(s) terceirizada(s) que atua(m) no PAM.
REQUERIMENTO N.º 037/21, de autoria dos Vereadores Davi Fernando da Silva e Sidnei da Silva Contelli, solicitando ao Presidente o envio de ofício ao Provedor da Santa Casa de Dracena, solicitando as seguintes informações: 1. Por qual motivo as escalas de plantonistas das especialidades de cirurgia geral e ortopedia não estão sendo supridas para todos os dias do mês, sendo mantido plantão somente para alguns dias do mês? 2. Qual é o regime de contratação? 3. Enviar cópia do contrato. Já que a falta de plantão diário dessas especialidades é de risco para pacientes e se faz necessário para evitar situações em que pessoas precisem ser atendidas repentinamente.
REQUERIMENTO N.º 038/21, de autoria do Vereador Davi Fernando da Silva, solicitando ao Prefeito informações, a saber: - Há previsão ou estudos visando à aquisição de um trailer para ser engatado na caminhonete do Centro de Controle de Zoonoses e ser usado pelos funcionários para recolhimento de cavalos e animais de grande porte?
REQUERIMENTO N.º 040/21, de autoria da Vereadora Sara dos Santos Scarabelli Souza, de VOTOS DE CONGRATULAÇÕES às empresas Bom Jesus Móveis, Alemão Tintas, Santa Helena, Cortinas e Cia., à arquiteta Nathalia Pantolfi e ao pintor José Lalie Junior pela ação comunitária realizada na residência de William N. Silva e Andressa N. Alves. Ações desta natureza dignificam empresas e demonstram o compromisso das mesmas com a comunidade. O poder público não consegue atender a todas as demandas, se mais empresas agirem assim conseguiremos encurtar os caminhos para uma sociedade mais próspera e justa.
REQUERIMENTO N.º 041/21, de autoria do Vereador Rodrigo Castilho Soares, solicitando ao Prefeito as seguintes informações: - Como será feito o acondicionamento dos materiais recicláveis para recolhimento pela Cooperativa de Trabalho e Reciclagem de Resíduos Sólidos (COTRARES)? Muitos munícipes têm reclamado por terem de usar sacos próprios para o acondicionamento dos materiais recicláveis, já que a cooperativa não tem disponibilizado os sacos, como era feito anteriormente.
REQUERIMENTO N.º 043/21, de autoria da Vereadora Maria Aparecida da Silva Gasques Mateus, solicitando ao Prefeito que nos informe: - Há estudos para a retomada do funcionamento da Zona Azul? Uma vez que, quando a Zona Azul funcionava, havia maior rotatividade das vagas e, sem a cobrança, muitos veículos ficam estacionados o dia inteiro. Desta forma, as pessoas que vão ao centro encontram muita dificuldade para estacionar.
REQUERIMENTO N.º 044/21, de autoria dos Vereadores Davi Fernando da Silva e Claudinei Millan Pessoa, solicitando ao Prefeito que nos informe: 1. É possível se criar isenção de ITU para os adquirentes de lotes enquanto o loteamento não for aprovado pelos órgãos competentes já que, neste interregno, não é possível ao adquirente promover qualquer construção? Justificar a resposta. 2. Em caso afirmativo, qual o prazo necessário para executar tal ação? Alternativamente, requer-se seja reduzida a alíquota do ITU neste período igualando-se à alíquota de IPTU, já que a não edificação independe, neste período, da vontade do adquirente.
REQUERIMENTO N.º 045/21, de autoria dos Vereadores Victor Silva Almeida Palhares, Davi Fernando da Silva e Júlio César Monteiro da Silva, solicitando ao Prefeito informações, a saber: - Há estudos no sentido de se inserir no rol de serviços essenciais do município: as academias, o comércio varejista, bares, restaurantes, salões de beleza, igrejas e escritórios de advocacia e contabilidade?
REQUERIMENTO N.º 046/21, de autoria do Vereador Pedro Gonçalves Vieira, solicitando ao Prefeito que informe a este vereador o que segue: 1. Existe planejamento para reconstrução da ponte conhecida como Ponte da Água Verde, que liga o Bairro Marrequinha à Associação dos Produtores Rurais? 2. Em caso afirmativo, onde se encontra parado? Pois se trata de uma via de escoamento dos produtos rurais para a cidade.
REQUERIMENTO N.º 047/21, de autoria do Vereador Pedro Gonçalves Vieira, solicitando ao Prefeito que nos informe: - Existe planejamento para a reconstrução da ponte conhecida como Ponte Torta, localizada na Estrada Municipal José Mazzoni, que liga o Bairro Fioravante à Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros?
REQUERIMENTO N.º 048/21, de autoria do Vereador Pedro Gonçalves Vieira, solicitando ao Prefeito as seguintes informações: 1. Existe planejamento para plantar grama no campo de futebol do Jardim Santa Clara, localizado ao lado do Centro Comunitário? 2. Onde o processo está parado?
REQUERIMENTO N.º 049/21, de autoria do Vereador Júlio César Monteiro da Silva, solicitando ao Prefeito informações a respeito de uma possível implantação de ciclofaixa entre as avenidas Presidente Roosevelt e Vargas. A ciclofaixa funcionaria somente aos domingos e feriados no horário das 08hs às 18hs na parte interna das mesmas, ou seja; do lado esquerdo de ambas. Além de dotar a cidade de uma área de lazer pública, onde todos possam fazer uso da mesma, ela gera saúde, lazer e diversão para os munícipes, uma vez que nossa cidade, infelizmente não foi dotada de áreas municipais onde a população possa desfrutar do uso. Este poderia ser um marco inicial para que as demais avenidas se tornem faixas especiais para as bicicletas em horários normais, onde os munícipes possam transitar com segurança tanto por lazer, como para o trabalho. Se isso acontecer, com certeza teremos menos acidentes de veículos e os nossos munícipes ganharão qualidade de vida, diminuindo em muito as suas idas ao PAM ou outro órgão de saúde, propiciando desta forma, economia aos cofres públicos.
REQUERIMENTO N.º 050/21, de autoria do Vereador Júlio César Monteiro da Silva, solicitando ao Prefeito informações a respeito de uma possível implantação de lâmpadas de led na parte de dentro da antiga estação ferroviária, para que os munícipes tenham maior segurança, quando estiverem passando por aquela área. Assim como sobre a possível construção de uma pista de caminhada na lateral da ferrovia até o pontilhão da Avenida Expedicionários e do pontilhão até a Rua Brasil. Se implantada essa ideia, o local se valorizaria muito e os desocupados e marginais seriam obrigados a abandonar o local, uma queixa frequente dos moradores daquela região.
REQUERIMENTO N.º 051/21, de autoria do Vereador Júlio César Monteiro da Silva, solicitando ao Prefeito que nos informe sé há intenção de se interceder junto ao governo estadual para a implantação em nosso município de um Hospital Presídio. O governo estadual trouxe para nossa região (alta paulista e alta sorocabana) uma grande quantidade de presídios (20), mas não disponibilizou para as cidades estrutura suficiente de atendimento para estas unidades estaduais e a contrapartida de apoio em relação ao uso dos hospitais locais. Estes detentos sempre representam perigo para a população e quando ficam enfermos fazem uso dos nossos hospitais como se fosse um paciente comum, na maioria das vezes tentam fugir e colocam em risco a vida dos policiais e dos funcionários dos hospitais. Em nossa cidade já houve casos de várias tentativas de fugas, inclusive causando sequelas graves nos policiais e funcionários. Pensando na segurança de todas as pessoas que trabalham nestes hospitais, é justo cobrar do Estado a construção de um Hospital Presídio, exclusivo para eles e que poderia gerar muitos empregos para nossa cidade, além do que os médicos e enfermeiros, formandos em nossa região ficariam por aqui, sem falar nos empregos diretos e indiretos que este empreendimento consegue proporcionar.
REQUERIMENTO N.º 052/21, de autoria do Vereador Célio Antonio Ferregutti, solicitando ao Prefeito que nos informe: 1. Como está o andamento da troca de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED? 2. Quais providências estão sendo tomadas quanto às lâmpadas de LED com defeito?
REQUERIMENTO N.º 053/21, de autoria do Vereador Célio Antonio Ferregutti, solicitando ao Prefeito que nos informe: 1. Como está o funcionamento do ônibus da Prefeitura que está fazendo o trabalho de circular provisoriamente para o município? 2. Como está sendo feito o controle de cobrança? 3. Como estão sendo feitos os estudos para nova licitação?
REQUERIMENTO N.º 054/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito as seguintes informações: 1. Quantos cargos comissionados existem na Prefeitura? 2. Informar os nomes e quais cargos ocupam.
REQUERIMENTO N.º 055/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que nos informe se há estudos para elaboração de lei instituindo desconto de IPTU para imóveis que sejam edificados atendendo conceitos de sustentabilidade, como: - sistema de captação de água de chuva; - sistema de reutilização de água; - aquecimento hidráulico solar; - sistema de aquecimento elétrico solar; - construção com materiais sustentáveis; - utilização de energia passiva; - sistema de utilização de energia eólica; - instalação de telhado verde.
REQUERIMENTO N.º 056/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que nos informe se há planejamento para a substituição dos guarda-corpos instalados nas esquinas por muretas baixas de contenção com paisagismo. Esta mudança não só irá cumprir com os requisitos de acessibilidade, mas também embelezar nosso município.
INDICAÇÕES
INDICAÇÃO N.º 078/21, de autoria do Vereador Claudinei Millan Pessoa, solicitando ao Prefeito que se faça a instalação de iluminação pública na Avenida Vitória, trecho entre a Rua Fortaleza e Avenida Alcides Chacon Couto, no lado oposto de onde existem os postes atualmente. Pois há muita escuridão no local e os moradores têm reclamado e pedido melhorias.
INDICAÇÃO N.º 079/21, de autoria do Vereador Claudinei Millan Pessoa, solicitando ao Prefeito que verifique todas as iluminações das áreas verdes no Jardim das Palmeiras I, II, III e IV e, havendo lâmpadas queimadas, que seja feita a troca. Em algumas áreas verdes a iluminação é deficiente, sendo necessário aumentar a quantidade de pontos de iluminação, já em outras áreas verdes não há nenhum poste de iluminação pública, sendo necessária a instalação dos mesmos.
INDICAÇÃO N.º 080/21, de autoria do Vereador Claudinei Millan Pessoa, solicitando ao Prefeito que seja feita a pavimentação asfáltica e instalação de iluminação na via que liga o Jardim Fioravante ao Residencial Santa Luzia. Uma vez que em períodos de chuva o acesso dos moradores ao Residencial Santa Luzia fica muito prejudicado e a falta de iluminação causa insegurança.
INDICAÇÃO N.º 081/21, de autoria do Vereador Claudinei Millan Pessoa, solicitando ao Prefeito juntamente com a Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Assuntos Viários, que seja feita mudança no semáforo que foi instalado de forma errada na esquina da Rua Fortaleza com a Alameda Bélgica. Já que os motoristas precisam parar seus veículos muito afastados, caso contrário, eles não têm visão do semáforo.
INDICAÇÃO N.º 082/21, de autoria do Vereador Rodrigo Castilho Soares, solicitando ao Prefeito que seja feita a adaptação da área externa da UBS Pedro Bocca Neto, localizada na Rua Terenas, onde atualmente existe mato alto, para que seja usada como estacionamento de veículos, sendo útil tanto para os funcionários e médicos que trabalham no local, quanto para os pacientes.
INDICAÇÃO N.º 083/21, de autoria da Vereadora Maria Aparecida da Silva Gasques Mateus, solicitando ao Prefeito que seja feita a regulamentação dos estacionamentos de moto taxi e de farmácias, devido à reclamações de munícipes pela escassez de vagas. Além disso, alguns comércios reservam vagas com cones, gerando descontentamento, já que os consumidores encontram muita dificuldade para estacionar, sendo que poderiam utilizar as vagas vazias se elas não estivessem previamente reservadas.
INDICAÇÃO N.º 084/21, de autoria do Vereador Pedro Gonçalves Vieira, solicitando ao Prefeito, juntamente com a Secretaria de Agricultura, que passe a máquina nas ruas do Bairro Iandara, pois devido às chuvas as vias se encontram em estado lastimável.
INDICAÇÃO N.º 085/21, de autoria do Vereador Pedro Gonçalves Vieira, solicitando ao Prefeito que faça urgentemente a instalação de um redutor de velocidade na Tenente Antero Contrera, altura do nº 401, pois já houve vários acidentes devido a excesso de velocidade.
INDICAÇÃO N.º 086/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que seja redobrada a fiscalização nas filas das casas lotéricas, pois há muitas pessoas nas filas, muitas delas não respeitando o distanciamento mínimo exigido pelas autoridades sanitárias.
INDICAÇÃO N.º 087/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que estude, juntamente com o setor competente, a elaboração de lei instituindo desconto de IPTU para imóveis que sejam edificados atendendo conceitos de sustentabilidade, como: - sistema de captação de água de chuva; - sistema de reutilização de água; - aquecimento Hidráulico solar; - sistema de aquecimento elétrico solar; - construção com materiais sustentáveis; - utilização de energia passiva; - sistema de utilização de energia eólica; - instalação de telhado verde.
INDICAÇÃO N.º 088/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que seja feita a substituição dos guarda-corpos instalados nas esquinas por muretas baixas de contenção com paisagismo. Esta mudança não só irá cumprir com os requisitos de acessibilidade, mas também embelezar nosso município.
INDICAÇÃO N.º 089/21, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, solicitando ao Prefeito que seja feito um estudo para a implantação de um entreposto, ou seja, um pátio de descanso para caminhões e veículos leves. Os condutores terão segurança, conforto e instalação adequada com acomodação. O local mais adequado seria às margens da SP-294 Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros.
ORDEM DO DIA
DISCUSSÃO E VOTAÇÃO ÚNICA DO PROJETO DE LEI Nº 004, de 1º/02/2021, de autoria do Vereador Victor Silva Almeida Palhares, que torna pública a lista de vacinação contra a Covid-19 no Município de Dracena e dá outras providências.

sábado, 6 de fevereiro de 2021

Saiba quem foi: Mário Covas


Mário Covas Júnior nasceu emSantos21 de abril de 1930 e morreu em São Paulo em 6 de março de 2001) foi um engenheiro e político brasileiro. Foi o trigésimo governador do estado de São Paulo, entre 1 de janeiro de 1995 e 22 de janeiro de 2001, quando se afastou do cargo em decorrência de um câncer que o acometeu. Como Mário Covas não renunciou ao seu mandato, ele manteve a sua condição de governador afastado até o seu falecimento, em 6 de março de 2001. Nesse ínterim, Geraldo Alckmin governou o estado na condição de governador interino, sendo inclusive citado pela imprensa como tal.


Origem e formação
Nascido em Santos, Mário Covas era filho de Mário Covas Pérez e Arminda Carneiro Neto. Pelo lado paterno, era neto do espanhol Jesús Covas Pérez e da portuguesa Ana Francisca Rodrigues Estaca. Pelo lado materno, era neto do português Manuel Carneiro Neto e de Rosalina Marques filha de portugueses.

Aos catorze anos, mostrou seu interesse pela política, quando disse que queria ser técnico de futebol do time municipal e prefeito da cidade de Santos.[3] Cursou o primeiro grau no Colégio Santista e o segundo grau no Colégio Bandeirantes, de São Paulo. Graduou-se em engenharia civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), onde foi colega daquele que seria no futuro seu maior adversário político, Paulo Salim Maluf. Foi na USP que iniciou-se a militância política do jovem Covas, que seria eleito em 1955 vice-presidente da União Nacional dos Estudantes.

Formado, Mário Covas trabalhou como engenheiro da prefeitura de Santos até 1962.

Carreira política
Deputado durante o regime militar

Iniciou sua vida pública em 1961, quando foi candidato derrotado à prefeitura de Santos, sua cidade natal. A respeito disso, Covas dizia que só não conseguiu ser eleito para dois cargos: Presidente da República e Prefeito de Santos. No ano seguinte conseguiu eleger-se para seu primeiro cargo, o de deputado federal, pelo PST.[3] Com a dissolução dos partidos políticos em 1965, Covas seria um dos fundadores do MDB, único partido político de oposição existente durante o período da Ditadura Militar.

Em 1968, Covas era o líder da bancada oposicionista na Câmara dos Deputados, porém foi cassado em em 16 de janeiro de 1969, com a outorga do AI-5. Ele ficou durante 10 anos com os direitos políticos suspensos. Com a cassação, e a perda dos direitos políticos, Mário Covas dedicou-se à engenharia.[4]

O retorno, prefeito de São Paulo e o mais votado senador na constituinte

Em 1979, reconquistados os direitos políticos, Covas retomou a luta contra a ditadura, tornando-se presidente do MDB. Foi reeleito deputado federal em 1982 pelo PMDB (sucessor do MDB), com um total de 300 mil votos. Com a posse do governador André Franco Montoro em março de 1983, seria nomeado por ele Secretário de Estado dos Transportes. No entanto, apenas dois meses depois, com o apoio do próprio Franco Montoro, venceria o grupo de Orestes Quércia dentro do PMDB e foi nomeado para a prefeitura de São Paulo, que comandaria, como "prefeito biônico" ( referencia ao seriado norte-americano: O Homem de Seis Milhões de Dólares), até o primeiro dia de 1986, quando passou o cargo para Jânio Quadros. Como prefeito de São Paulo, conduziu um amplo processo de asfaltamento de ruas, de melhoramentos na periferia da cidade e de recuperação dos órgãos e serviços públicos.

Anteriormente à chegada do PMDB ao poder, os senadores e prefeitos nomeados eram chamados pejorativamente de "Senador Biônico" e "Prefeito Biônico" numa alusão a um seriado norte-americano, mas Mário Covas, por ser do PMDB, foi poupado dessa pecha.

Em 1986, ano em que foi instituído pelo Presidente José Sarney o Plano Cruzado, considerado pela oposição um "estelionato eleitoral" por favorecer os candidatos da situação, Covas foi eleito senador com 7,7 milhões de votos, a maior votação de um candidato a cargo eletivo na história do Brasil até então, beneficiado também pela reputação conquistada como prefeito. Foi líder da bancada do PMDB no Senado durante a Assembleia que elaborou a Constituição de 1988. Durante os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, alinhou-se muitas vezes às bancadas de esquerda e fez oposição ao chamado Centrão.

Em 1987, o governador de AlagoasFernando Collor de Mello, propôs a Mário Covas a formação de uma chapa dentro do PMDB para a disputa das eleições presidenciais seguintes, na qual Covas seria o candidato e Collor, o vice. Mário Covas recusou o convite.

Os primeiros anos de PSDB

Em 1988, Covas foi um dos principais líderes da dissidência do PMDB:[3] membros da legenda (incluindo o ex-governador Franco Montoro), insatisfeitos no diálogo político com o presidente José Sarney e com o então governador paulista Orestes Quércia, decidiram fundar um novo partido, o PSDB, do qual Mário Covas foi o primeiro presidente. Como indicado no próprio nome da legenda, o PSDB surgiu com uma plataforma social-democrata, defensora da manutenção do capitalismo de maneira regulada, com respeito aos direitos trabalhistas e promoção de uma justa distribuição de renda. Em relação ao PMDB, o PSDB, quando de sua fundação, pretendia manter-se em uma posição mais à esquerda, autodefinindo-se como um partido de centro-esquerda. Nas eleições presidenciais de 1989, as primeiras desde 1960, Covas foi o candidato do PSDB tendo como vice Almir Gabriel, ficando em quarto lugar. No ano seguinte, foi candidato derrotado a governador de São Paulo, ficando em terceiro lugar.

Como senador, desde o início do mandato do presidente Fernando Collor de Mello (PRN), Mário Covas, que havia apoiado o candidato do PTLuiz Inácio Lula da Silva, no segundo turno das eleições de 1989, fez oposição à sua administração. A partir de 1991, com dificuldades em aprovar projetos de seu interesse no Congresso Nacional, Collor passou a direcionar esforços na busca da adesão do PSDB ao governo, acordo que passaria pela cessão de cargos dentro de seu ministério. Mário Covas foi uma das principais vozes do partido a condenar qualquer negociação com Collor e, com efeito, seria um dos impositores da recusa do PSDB, recusa proferida não sem conflitos internos em março de 1992. Com o surgimento das denúncias de Pedro Collor em maio, Covas e o PSDB colheriam os dividendos de sua escolha política. O senador inclusive seria um dos principais nomes da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada no Congresso para investigar os negócios do presidente e que pediria o seu impeachment no relatório final aprovado em agosto. A Câmara Federal afastaria Collor em 29 de setembro e o presidente entregaria a sua carta-renúncia no início de seu julgamento pelo Senado em 29 de dezembro, a fim de evitar a cassação de seus direitos políticos por oito anos. A renúncia não seria aceita o julgamento prosseguiu, com Mário Covas votando pela cassação, concretizada por ampla maioria.[3]

Em 1994 Covas foi novamente candidato a governador de São Paulo e venceu Francisco Rossi (PDT) no segundo turno com oito milhões de votos, sendo depois reeleito em 1998 para mais quatro anos de governo.

O governo Covas

No início de 1995, Mário Covas assumiu o estado de São Paulo declarando haver herdado inúmeras dívidas das gestões anteriores, apontando obras paralisadas e aparelhamento político de órgãos públicos, o que ocasionaria irregularidades em suas administrações. O Banespa, principal banco estadual do país, estava sob intervenção do Banco Central por má gestão. Intervenção esta que depois de ter sido investigada em uma CPI na Câmara dos Deputados mostrou-se trágica para a instituição, aumentando em muito a dívida do banco com o estado.
Covas demitiu quatro mil empregados do Baneser, supostos fantasmas. Entre os demitidos, encontravam-se guardas escolares (todos) e funcionários do Fundo Social de Solidariedade. Renegociou contratos de serviços, que ficaram paralisados. Limitou os cargos de confiança e iniciou um processo de reforma e modernização administrativa. Privatizou uma série de empresas estatais, como a Eletropaulo, e longos trechos de rodovias estaduais; foi criticado pelo aumento dos números de postos de pedágio. Iniciou a licitação de linhas inter-municipais de ônibus da EMTU - que venciam em 1996. Num acordo de renegociação da dívida do Estado para com o governo federal, cedeu ao mesmo as linhas da Fepasa, posteriormente privatizadas.

No setor de saneamento básico, Covas recuperou as finanças da Sabesp e incentivou a recuperação e despoluição do Rio Tietê, iniciada no governo Fleury. No final da década de 1990, a capacidade de tratamento de esgotos cresceu com a ampliação da capacidade de tratamento da Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri e inauguração das Estações de Tratamento de Esgoto Parque Novo Mundo, São Miguel e ABC.

Na área da educação, Covas foi severamente criticado por instituir na rede estadual o modelo de ensino de progressão continuada. Neste modelo, elimina-se a repetência por nível de aproveitamento (notas). Tal modelo é amplamente elogiado por educadores[carece de fontes], no entanto é consensual que para aplicá-lo corretamente deve haver um acompanhamento pedagógico muito bem estruturado que nem sempre ocorre na rede pública de ensino. Durante o mandato surgiram vários relatos de jovens prestes a concluir o ensino fundamental que seriam praticamente analfabetos.

Covas também sofreu críticas por recusar aumentos a professores e demais servidores públicos, chegando a entrar em conflito em junho de 2000 com professores na Praça da República, onde foi agredido por servidores grevistas que tentavam impedí-lo de entrar pela porta da frente na sede da Secretaria de Educação.

A 18 de Agosto de 1997 foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal.[5]

Afastou-se do governo em janeiro de 2001 para tratar-se de doença, e não mais retornou. Seu vice, Geraldo Alckmin, o substituiu e permaneceu até o fim do mandato, em 2002, quando foi reeleito, ficando assim ao todo 6 anos à frente do governo paulista.

As privatizações

Através do denominado PED (Programa Estadual de Desestatização criado pela Lei Nº 9.361, de 5 de julho de 1996[6]), o governo Mário Covas privatizou as principais empresas e estradas estaduais entre 1995 e 2000, o que garantiu R$ 32,9 bilhões aos cofres do estado. Um dos principais articuladores dos planos de privatização foi o secretário de Energia de Covas, David Zylbersztajn, juntamente com Geraldo Alckmin (então vice-governador), que à época presidiu o PED.

·         Banespa - Banco do Estado de São Paulo

·         CESP - Companhia Energética de São Paulo

·         CPFL - Companhia Paulista de Força e Luz

·         Comgás – Companhia de Gás do Estado de São Paulo

·         Eletropaulo – Eletricidade de São Paulo

·         Elektro – Serviços de Eletricidade

·         Fepasa – Ferrovia Paulista

·         Empresa Bandeirante de Energia

·         Rodovia dos Bandeirantes

·         Rodovia dos Imigrantes

·         Via Anchieta

Via Anhanguera

Morte
Covas sofria de um grave câncer na bexiga. A primeira cirurgia foi realizada em dezembro de 1998, o tumor foi retirado e o Governador, submetido a quimioterapia.

1.  Porém, a doença voltou em outubro de 2000 e, em 22 de janeiro de 2001, Mário Covas afastou-se do governo e teve de ser submetido a uma nova cirurgia, na qual parte de seu intestino teve de ser retirado. Ele morreria pouco depois, no dia 6 de março de 2001. O corpo está sepultado no Cemitério do Paquetá, em Santos.

Referências
 1º. Ofício de registro civil de Santos (25 de abril de 1930). «Talão do registro de nascimento de Mário Covas Junior». Consultado em 23 de fevereiro de 2020

2.   Fundação Mario Covas. «Guia do Acervo Mario Covas». 2005

3.  ↑ Ir para:a b c d e «Mário Covas». UOL - Educação. Consultado em 29 de junho de 2017

4.   «Folha Online - Brasil - Mário Covas». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 6 de dezembro de 2017

5.   «Cidadãos Estrangeiras Agraciados com Ordens Nacionais». Resultado da busca de "Mário Covas". Presidência da República Portuguesa (Ordens Honoríficas Portuguesas). Consultado em 1 de março de 2016

 Lei Estadual nº 9.361, de. [S.l.]: Al.sp.gov.br. 5 de julho de 1996

Veja entrevista no Roda Viva em 1994