Mostrando postagens com marcador Semana Dirceu Casagrande. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Semana Dirceu Casagrande. Mostrar todas as postagens

sábado, 5 de setembro de 2020

O poema nosso de cada dia: - Semana Dirceu Casagrande - Somos o que somos

Foram sete os poemas os nosso amigo dracenense Dirceu Casagrande, publicados em nosso site desde o dia 30/08/20 até este sábado, 05/09/20

Somos o que somos

Se fosse como eu queria
O mundo era só alegria
Só o amor prevalecia
Alimento toda mesa teria
Tudo perfeito seria
Como o pão nosso de cada dia.

Como não é   do meu jeito
Muita gente com defeitos
Pois nem tudo é perfeito
Muita gente dormindo sem leito
Por isso não vivo satisfeito

As vezes eu sou o que quero
Sou quem sou e só espero
Que o sonho que tanto venero
Possa um dia ser sincero
Peço sempre ao pai eterno
E se faltar eu inteiro

Vou completar me doando
Não sou oque quero sonhando
Mas sou quem sou me realizando
Oque não posso é ficar esperando
Ser oque pretendo me humilhando
Mas ser mais me completando. 

Não espere aí sentado
Diga oque sabe não fique calado
Não se humilhe pra não ser humilhado 
Cante a vitória no alegre solado
Com a certeza que Deus está do seu lado...

(Dirceu Casagrande)

sexta-feira, 4 de setembro de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande - 6 Flor mulher

Imagem ilustrativa
Flor mulher

Toda mulher é uma flor,
Perfumada e sempre bela
E o jardineiro com amor
Precisa cuidar bem dela,
Irrigar ,zelar, proteger,
Enfeitar seu jardim com ela,
Viver sonhar e adormecer,
Sentindo o perfume dela.

Toda flor é feminina
Mesmo o cravo e o jasmim
Pois suas belezas infindas
Da vida a qualquer jardim.
Jardim do lar ou da praça,
Das cidades dos campos e enfim
Dando alegria a quem passa
Pois foi Deus quem as fez assim.

Toda mulher nasce planta
Como flor brota do chão
Quando criança uma santa
Na juventude um botão
Mais adulta dessabrocha,
Floresce seu coração
Se torna , jardim florido
Cujo os filhos , flores são.

(Dirceu Casagrande)

quinta-feira, 3 de setembro de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande - 5 No colo da noite

Imagem ilustrativa

No colo da noite

O colo da noite é o lugar onde durmo
Envolto nos braços da cruz que carrego
Meu sonho é um barco que segue sem rumo
Nas águas profundas do mar que navego.
Descrente do amor,fui disiludido,
Ao sofrer tanta dor eu deixei o meu lar
Qualquer viaduto hoje é meu endereço
Nessa solidão estou pagando o preço 
De quem nessa vida nasceu pra te amar,.

Modelo em mulher
Perfeita morena 
Tão bela a pequena
Assim Deus o fez,.
Se todo homem sonha
Sonhei ter só minha 
Te fazer rainha.
Prá ser o seu rei,

(Dirceu Casagrande)

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande – 4 Só queria ser feliz



Imagem ilustrativa
Só queria ser feliz

Busquei na fonte dos prazeres
Algo para matar meus desejos
Imaginei conquistar para sempre
A felicidade que até hoje almejo

Mas a fonte que eu buscava secou
Faltou algo prá realizar meu querer
Mas serviu pra que eu aprendesse
Que o mais importante é viver,

Viver intensamente os momentos
Como o último a ser vivido
Agarrar com unhas e dentes
A vida o amor o amigo

Caminhar sem medo de cair
Correr como atleta para vencer erguer a cabeça e enxergar
O horizonte feliz do novo amanhecer

O sol da manhã com raios de vida
O céu azul como as águas do mar
Na noite de lua e céu estrelado
E a brisa soprando trazendo paz

Paz que tanto preciso
Amor que eu sempre quis
Fonte de prazer e desejos,,
O que quero é ser feliz,,,.

(Dirceu Casagrande)

terça-feira, 1 de setembro de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande – 3 Onde mora a felicidade



Imagem ilustrativa
Onde mora a felicidade

Trabalhei o dia todo
Entre os doutores da lei
De paletó e gravata
Julgando oque o outro fez ,

Sem almoço,sem descanso
Corrido e muita tensão
Se não fosse por prazer
Desistiria da profissão

Ao ir pra casa a tarde
Quando no semáforo parei
Nervoso e com muita pressa
Com um mendigo me deparei,.

Sorrindo ele me olhou
Sem camisa , pés no chão
Aprendi que perante a lei
É um comum cidadão

Perguntei vc é feliz
Afirmou na simplicidade
É  no prazer de viver doutor
Que mora a felicidade

Sou feliz , você percebe
No sorriso do meu rosto
Vivo fazendo oque gosto
Não ao que me é imposto.

Fui pra casa e não dormi
Perguntei com sinceridade
Ao meu Deus quero saber,
Onde mora a felicidade,

Talvez  você possa me ajudar
E responder para mim
Onde encontro a felicidade
No começo,meio,ou fim,.
 (Dirceu Casagrande)

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande – 2 Amigo

Imagem ilustrativa

Amigo

Amigo é como os dedos das mãos
Poucos,diferentes,mais perfeitos
Que unidos completam a mão que dá
A mão que pega a mão que indica
A mão que aperta
A mão que comprimenta
A mão que socorre
A mão na hora certa

Amigo se conquista
Amigo não tem a venda
Amigo é como chuva
Chuva que irriga a planta
Amigo é o fruto que alimenta
Que alimenta o amor
Que alimenta a paz
A paz que encanta
Amigo é amigo
Sem explicação...

(Dirceu Casagrande)

domingo, 30 de agosto de 2020

O poema nosso de cada dia: Semana Dirceu Casagrande - 1 Corrupção

São sete poemas do nosso amigo dracenense Dirceu Casagrande, constantes em nossos arquivos e que apresentaremos a partir deste domingo (30/08)

Dirceu Casagrande - Foto do Facebook
(editada por nossa redação) 

"CORRUPÇÃO

Eu sou como a nuvem do temporal,
Que deixa rastros por onde passa,
Na favela, no morro tirando vidas
E vou embora sem deixar sinal de fumaça.

Eu sou a praga criada
Na fila da fome e da dor
Sou a ganância do mais muito mais
Sou a falta da partilha e do amor.

Eu ajunto sem maquinários
Colho onde nunca plantei
Ganho dormindo, sonhando
Mas hoje eu acordei.

De que vale juntar tanto pra mim
Se não guardo nada pra depois
Se o vírus chamado corona
Pega em mim, você, nós dois.

Se o hospital que interna é o mesmo
Que trata do pobre e do rico
Se a morte leva o paciente
Leva todos nem eu mesmo fico.

Ainda bem que foi só pesadelo
Acordei quando o vírus chegou
Quero voltar pra escola de novo
Que a saúde a corrupção já levou.

Só restas alguns pacientes
Que agoniza na ânsia da morte
Que eu com a sede do mais
Decretei sua dor, sua sorte.

Eu sou a corrupção
Meu nome não é tão interessante
Meu poder esse sim importa
Mando, desmando e sigo adiante."

(Dirceu Casagrande)