Mostrando postagens com marcador Jair Bolsonaro. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Jair Bolsonaro. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 15 de julho de 2021

Vida longa ao presidente Bolsonaro e que sua queda seja de pé

Ao contrário do presidente Jair Bolsonaro que desejou a morte, da ex-presidenta Dilma, usando a seguinte expressão: “Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, de qualquer maneira”, desejo ao mesmo uma rápida recuperação e que sua queda seja de pé 
(Amorim Sangue Novo – Sem medo da verdade)
    

Veja também:



Bolsonaro desejou "infarte ou câncer para Dilma em 2015 >>>

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Bolsonaro: De "marrento" a "arregão"

Após diversas provocações e expressões chulas contra profissionais, colegas e entidades, Bolsonaro acaba pedindo desculpas. Desta vez "cobrado" pelo presidente do STF, Luiz Fux, resolveu "baixar a crista"
Como disse o Mano Brown: “Depois que inventaram a desculpa nunca mais morreu ninguém.”
(Amorim Sangue Novo - Sem medo da verdade)

  

Veja diversos vídeos em que Bolsonaro pede desculpas clicando nos links abaixo

Bolsonaro pede desculpas por vídeo publicado na conta dele nas redes sociais

Bolsonaro pede desculpas após declaração homofóbica no Maranhão 

Jair Bolsonaro pede desculpas a Israel

Um pedido de desculpas à Angela Merkel pelas ofensas de Jair Bolsonaro

Bolsonaro se desculpa após polêmica sobre guaraná do Maranhão

Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário

Jair Bolsonaro pede desculpas a Israel

Bolsonaro pede desculpa a jornalista - Coalizão Negra pede impeachment de Bolsonaro SJ

Jair Bolsonaro: "O TCU está certo. Eu errei"






domingo, 4 de julho de 2021

Se eu tomasse uma facada, ganhava a eleição, disse Bolsonaro à Joice!

 



Veja o original (se não for retirado do Youtube) clicando AQUI >>>   ou AQUI >>>

Abaixo texto retirado do vídeo no Youtube

Em entrevista concedida hoje ao historiador Vinicius Carvalho e ao advogado Marco Aurélio de Carvalho na Live das 5, a deputada federal Joice Hasselman (PSL-SP) fez uma revelação sobre um fato ocorrido na campanha eleitoral de 2018 . Questionada por uma espectadora sobre a facada no então candidato Jair Bolsonaro, Joice fez o seguinte relato: “Eu não tenho informação a respeito, mas alguns fatos me deixaram muito apreensiva depois do que aconteceu. Viajei algumas vezes com o presidente durante a campanha e, em uma delas, pela região de Araçatuba (interior de São Paulo), eu pedi a ele que usasse colete à prova de balas quando estivesse em meio à multidão. Às vezes estava calor, mas eu fazia ele sair de colete.” “Na volta, entramos no carro e ele olhou pra mim e disse: “Se eu tomasse uma facada, ganhava a eleição”. A frase deixou Joice impressionada, a ponto de naquela noite ter sonhado com Bolsonaro sendo baleado. Na sequência de seu relato, Joice manifestou “estranhamento” com os fatos que se sucederam em 6 de setembro de 2018 em Juiz de Fora. “No dia da tragédia, algumas coisas me deixaram com estranhamento. Primeiro, o número de policiais ao redor dele estava reduzido pela metade. Naquele dia, a célula de segurança estava incompleta. Algumas pessoas que normalmente estariam com ele naquele momento, como eu mesma, não foram comunicadas daquela agenda”, contou Joice. “Outra coisa que estranhamos foi ele estar nos ombros de alguém.”
MOSTRAR MENOS

segunda-feira, 31 de maio de 2021

"Irmã de Paulo Gustavo manda recado a Bolsonaro: 'Nunca mais ponha na sua boca o nome do meu irmão"

Ju Amaral escreveu mensagem nas redes sociais. 'Guarde pra você seus sentimentos e não nos obrigue a lidar com eles', postou a produtora dias após presidente prestar condolências à família por morte do ator.


A produtora usou a postagem para responder uma mensagem em que Bolsonaro prestou condolências à família do ator após sua morte.

"Também espero que o senhor não despeje sobre minha família os seus mais sinceros sentimentos, pois eu não os aceito. Não sei que sentimentos tem um homem que deixa um país inteiro entregue à morte. Guarde pra você seus sentimentos e não nos obrigue a lidar com eles. Seus votos de pesar também peço que deposite em sua própria consciência, pois é sobre o seu governo que pesa a pior gestão desta pandemia mundial."

"Espero que o senhor saiba que meu irmão e você não tinham nada em comum. Vocês trafegam em vias opostas. Enquanto ele ia na estrada da vida, do afeto, da generosidade e empatia, o senhor vem pelas trevas, trazendo escuridão e morte. O Brasil que o senhor comanda carrega nas costas quase 500 mil filhos mortos, e dentre eles o meu irmão."

Para ilustrar o post, Ju mostrou a tatuagem que fez em homenagem ao irmão, a quem chamava de Tatau. A produtora eternizou no braço a frase "rir é um ato de resistência", dita por Paulo no especial de fim de ano da Globo. 

Leia a matéria completa clicando aqui >>>




terça-feira, 18 de maio de 2021

“Respeite a Dilma, seu FelaDaPuta”

O cantor brega Falcão saiu em defesa da ex-presidente Dilma contra ataque de Bolsonaro em seu Twitter.

O presidente Jair Bolsonaro colocou em dúvida a tortura sofrida pela ex-presidente Dilma Rousseff durante a ditadura militar (1964-1985). A apoiadores, ele afirmou que aguarda "até hoje" raio-x que comprovaria lesão provocada em Dilma pelos torturadores.

Políticos como os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, além do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se solidarizaram com Dilma e criticaram Bolsonaro. Leia mais abaixo a repercussão das declarações do presidente.

Dilma integrou organizações de esquerda que combateram a ditadura militar. Ela foi presa e torturada e chegou a receber indenizações dos governos de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, onde as torturas ocorreram.

Em 2001, durante depoimento ao Conselho Estadual de Direitos Humanos do governo de Minas Gerais, ela contou detalhes das sessões de tortura, que incluíram socos, choques elétricos e pau de arara.

Bolsonaro fez os comentários na segunda-feira (28), durante conversa com apoiadores em frente do Palácio da Alvorada, em Brasília.

Um dos apoiadores disse ao presidente que era militar da ativa em 1965 e que não viu tortura sendo feita no período. Bolsonaro disse então que "os caras se vitimizam o tempo todo", citou o caso de Dilma e afirmou que "até hoje" aguarda um raio-x que comprovaria fratura na mandíbula da ex-presidente.

"Os caras se vitimizam o tempo todo: 'fui perseguido'. Teve um fato aí - esqueci o nome da pessoa, mas é só procurar na internet, vai achar com facilidade - que a Dilma foi torturada e que fraturaram a mandíbula dela. Eu disse: 'traz o raio-x pra gente ver o calo ósseo'. E isso que eu não sou médico, hein. Até hoje estou aguardando o raio-x", disse Bolsonaro.

Postado originalmente no Folha.Impacto em 29/12/2020 >>>


sexta-feira, 14 de maio de 2021

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Relembre 15 vezes que Bolsonaro subestimou publicamente a covid-19

O Correio selecionou algumas das principais situações em que o presidente falou do vírus com desdém

Jair Bolsonaro (sem partido) foi submetido a um novo exame de covid-19 nesta segunda-feira (6/7), após apresentar sintomas do novo coronavírus. Mesmo assim, o presidente chegou a ficar perto de apoiadores no Palácio da Alvorada. Esta, entretanto não é a primeira vez que ele subestima a doença e o alto risco de contágio. O Correio selecionou algumas das principais situações em que o presidente falou do vírus com desdém. 

GripezinhaEm março, o presidente classificou o novo coronavírus como "fantasia" e disse que a pandemia "não é o que se propaga". Na ocasião, o presidente também não se mostrou amedrontado caso ele venha a ser diagnosticado com a doença. "Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar, tá ok?”, disse o chefe do Executivo federal.

Histórico de atleta

Em rede nacional, Bolsonaro fez um pronunciamento sobre a pandemia no Brasil, defendeu a abertura de escolas, o fim do confinamento e criticou a "histeria" com a doença. 

No discurso, ele voltou a minimizar o coronavírus ao falar de si mesmo. “Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria ou teria. Quando muito, seria acometido por uma gripezinha ou um resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico, daquela conhecida televisão”, emendou, numa referência a Drauzio Varella.
"E daí?"
O presidente Jair Bolsonaro afirmou, em ocasião em frente ao Palácio da Alvorada, que não faz "milagres" e deu a entender que não pode fazer nada em relação ao alto número de mortos por covid-19 no Brasil. E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", disse o presidente depois de ser questionado sobre os números.
 
Churrasco no Palácio 
Mesmo com as aglomerações não sendo recomendadas, o presidente disse em maio que iria "cometer um crime" para reunir os convidados em um churrasco no Palácio da Alvorada. O evento, segundo ele, seria para cerca de 30 pessoas e ainda terá direito a uma partida de futebol.

"Estou cometendo um crime. Vou fazer um churrasco no sábado aqui em casa. Vamos bater um papo, quem sabe uma peladinha, alguns ministros, alguns servidores mais humildes que estão do meu lado", disse.

Dias depois, o presidente desistiu do evento que causou repercussão negativa e nas redes sociais, chamou o churrasco de "fake".

Imagem: Público, o site de notícias mais lido em Portugal >>>

terça-feira, 22 de outubro de 2019

Café com Amora - Editorial 22/10/19

A grande ironia é o Jair Bolsonaro “atacar” vários países sob a alegação de que nestes reinam a ditadura, sendo que ele mesmo “entregou” o Carlos Lamarca, que havia montado um campo em Vale do Ribeira para treinar guerrilheiros contra a ditadura militar

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Discurso do presidente Jair Bolsonaro na ONU

Presidente chamou de 'falácia' afirmação de que Amazônia á patrimônio da humanidade. 


Veja os principais pontos do discurso de Bolsonaro na ONU 
          Presidente discursou, nesta terça, pela 1ª vez na abertura de uma Assembleia Geral da ONU. 

Ele falou sobre socialismo, preservação da Amazônia, questão indígena, perseguição religiosa e economia, entre outros pontos.

    Presidente diz que Amazônia permanece "praticamente intocada"           
     Diz que "um ou outro país" se portou "de forma colonialista" devido às queimadas na Amazônia e questionou soberania do Brasil

   ·Afirma que o país não vai aumentar para 20% as áreas demarcadas como terra indígena
·         
Critica líderes indígenas como o Cacique Raoni, "que são usados como peça de manobra por governos estrangeiros na sua guerra informacional para avançar seus interesses na Amazônia".
·         
Cita a indígena Ysany Kalapalo,
que não é reconhecida como representante dos povos tradicionais.
·         
Critica o socialismo da Venezuela e Cuba e o Foro de São Paulo, organização que ele chama de "criminosa"
·         
Diz que se empenha para que outros países da América do Sul não experimentem o "nefasto regime" da Venezuela.
Men
ciona os acordos firmados entre o Mercosul e a União Europeia e entre o Mercosul e a Área Europeia de Livre Comércio. 
                
     Diz que o país está abrindo a economia e apostando em concessões e privatizações.       Reafirma seu compromisso com os "mais altos padrões de direitos humanos, com a defesa da democracia e da liberdade, de expressão, religiosa e de imprensa.                 
     Critica "presidentes socialistas" que desviaram dinheiro e compraram
"parte da mídia e do parlamento" 
           enciona ministro Sergio Moro, responsável por julgar e punir seus antecessores com "patriotismo, perseverança e coragem".  Condena a perseguição religiosa e diz que o Brasil está pronto para colaborar para a proteção dos oprimidos.

Amazônia

"Nossa Amazônia é maior que toda a Europa Ocidental e permanece praticamente intocada. Prova de que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente."


Espírito colonialista

"É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a nossa floresta é o pulmão do mundo.
Valendo-se dessas falácias, um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa, com espírito colonialista."

Terras indígenas
"Quero deixar claro: o Brasil não vai aumentar para 20% sua área já demarcada como terra indígena, como alguns chefes de Estados gostariam que acontecesse.""A visão de um líder indígena não representa a de todos os índios brasileiros. Muitas vezes alguns desses líderes, como o Cacique Raoni, são usados como peça de manobra por governos estrangeiros na sua guerra informacional para avançar seus interesses na Amazônia."
"Infelizmente, algumas pessoas, de dentro e de fora do Brasil, apoiadas em ONGs, teimam em tratar e manter nossos índios como verdadeiros homens das cavernas. [...] O índio não quer ser latifundiário pobre em cima de terras ricas. Especialmente das terras mais ricas do mundo. É o caso das reservas Ianomâmi e Raposa Serra do Sol. Nessas reservas, existe grande abundância de ouro, diamante, urânio, nióbio e terras raras, entre outros."

Cuba e Venezuela
"O socialismo está dando certo na Venezuela! Todos estão pobres e sem liberdade!"
"Nosso país deixou de contribuir com a ditadura cubana, não mais enviando para Havana 300 milhões de dólares todos os anos [em referência ao programa Mais Médicos]".

Socialismo e o Foro de São Paulo
"O Foro de São Paulo, organização criminosa criada em 1990 por Fidel Castro, Lula e Hugo Chávez para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser combatido."

Mercosul
"Em apenas oito meses, concluímos os dois maiores acordos comerciais da história do país, aqueles firmados
entre o Mercosul e a União Europeia e entre o Mercosul e a Área Europeia de Livre Comércio, o EFTA."

Presidente 'socialistas' e Sergio Moro

"Há pouco, presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto. Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o Dr. Sérgio Moro, nosso atual
Ministro da Justiça e Segurança Pública."


'Perseguição religiosa'

"A perseguição religiosa é um flagelo que devemos combater incansavelmente. Nos últimos anos, testemunhamos, em diferentes regiões, ataques covardes que vitimaram fiéis congregados em igrejas, sinagogas e mesquitas."

Direitos humanos e liberdade de imprensa
"O Brasil reafirma seu compromisso intransigente com os mais altos padrões de direitos humanos, com a defesa da democracia e da liberdade, de expressão, religiosa e de imprensa.

Leia a íntegra do discurso clicando aqui >>>

Lobão revelou recentemente estar desapontado com o governo



Um dos poucos nomes do meio artístico a apoiar a eleição de Jair Bolsonaro (PSL), o músico Lobão revelou recentemente estar desapontado com o governo, que ele definiu como um “desastre”. Em entrevista ao jornalista Gilberto Dimenstein, no estúdio da Catraca Livre, ele comenta sobre a relação de Bolsonaro com seus três filhos e os impactos políticos do clã familiar para o Brasil.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Primavera Fascista



“Diante do cenário nacional atual, o Setor Proibido reuniu
7 MC's capixabas no intuito de se manifestar e mostrar a verdadeira face do candidato de extrema direita.

(Bocaum, Leoni, Adikto, Axant, Mary Jane, Vk Mac & Dudu
(Prod. Tibery)


Observação:

O texto contigo na letra desta música pode ou não, em seu todo ou em parte representar o pensamento de nosso redator

Vídeo relativo:

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

De olho no dinheiro do fundo partidário, Bolsonaro pode sair do PSL


Jair Bolsonaro estaria em rota de colisão com o presidente do partido, Luciano Bivar, que não estaria disposto a abrir mão do comando da legenda


Em meio ao já evidente racha no partido, o presidente Jair Bolsonaro teria ameaçado deixar o PSL. As informações são do site O Antagonista. 
Segundo o veículo, que falou com assessores presidenciais, o motivo para a saída de Bolsonaro seria o desgaste com o presidente da sigla, Luciano Bivar. O capitão da reserva estaria de olho nos recursos do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário, e Bivar, que também tem interesse nos recursos, que podem somar até meio bilhão de reais, não estaria disposto a abrir mão do comando do partido.
Considerada uma legenda nanica até 2018, o PSL aumentou exponencialmente com a filiação de Jair Bolsonaro e passou a ser a segunda maior bancada da Câmara e no Senado. Ao longo dos quase dez meses de governo, no entanto, intrigas internas têm abalado cada vez mais a base do governo.
O deputado federal Alexandre Frota, por exemplo, que era um dos nomes fortes do bolsonarismo, trocou o PSL pelo PSDB. Já no Senado, Selma Arruda, que é conhecida como “Moro de saias”, saiu do partido do presidente e foi para o Podemos. Isso sem falar na articulação de Major Olímpio (PSL-SP) para que o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) deixe a legenda.

Antagonista especula ainda que ao menos 18 deputados do PSL pensam sair da agremiação.

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

TSE arquiva ação de Bolsonaro contra Folha de S. Paulo e Haddad


Relator do processo, ministro Jorge Mussi, destacou o princípio da liberdade de imprensa
Por unanimidade, o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou uma ação do presidente da República, Jair Bolsonaro, que pedia investigação contra Fernando Haddad, seu adversário político durante a campanha das Eleições 2018, e o jornal Folha de S. Paulo.
O argumento de Bolsonaro, ainda candidato quando protocolou a ação, era que Haddad e sua vice, Manuela d’Ávila, teriam se aliado ao jornal para atacar sua campanha, principalmente com a reportagem que denunciou o impulsionamento de mensagens em massa pelo WhatsApp.
O relator da ação, ministro Jorge Mussi, votou pela improcedência dos argumentos e determinou o arquivamento do processo.
Durante seu voto, Mussi destacou o princípio constitucional da liberdade de expressão e afirmou que a atuação da Justiça Eleitoral em situações que envolvem os meios de comunicação social deve ser realizada com a menor interferência possível, de modo a prevalecer a livre manifestação do pensamento e o direito de informação.
Ele afirmou que a Constituição Federal é cristalina ao estabelecer, em seu artigo 220, que “a manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição”. Segundo o relator, esse princípio garante o pluralismo de opiniões, instrumento essencial para a consolidação do estado democrático de Direito.
Para Mussi, no caso dos autos, as matérias jornalísticas estão fundadas em relação indissociável entre a liberdade de imprensa, de expressão e democracia.
De acordo com o magistrado, não se sustenta o argumento de que houve conluio entre os adversários de Bolsonaro e o jornal; tampouco, disse ele, houve prova de que o material divulgado pela publicação seria notícia inverídica, infundada, depreciativa, difamatória ou criminosa.
Mussi destacou que a repórter autora da reportagem colheu a manifestação de todos os envolvidos, assegurando-lhes, de forma inequívoca, a apresentação de duas versões acerca dos fatos e que, além disso, a reportagem informou na ocasião que não havia a indicação de que Bolsonaro – ou sua equipe de campanha – soubesse que o serviço estava sendo contratado.
“Essa circunstância, a meu sentir, afasta peremptoriamente a alegação de estratagema previamente discutida entre os investigados e por eles organizada para promover campanha contra Jair Bolsonaro”, finalizou o ministro.
Processo relacionado: Aije 060186221

Postado originalmente no TSE
Imagem: Brasil247 (editada por nossa redação)

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

José Carlos Dias comenta atitudes de filhos de Jair Bolsonaro

No Roda Viva, José Carlos Dias, advogado e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns, opinou sobre as recentes atitudes do filhos de Jair Bolsonaro e comentou a influência deles no governo.