domingo, 4 de outubro de 2020

Do fundo do Baú do Amora: Testamento - Toquinho e Vinicius de Moraes









Você que só ganha pra juntar
O que é há? Diz pra mim o que que há?
Você vai ver um dia em que fria você vai entrar.
Curse num balaje
Em baixa escuridão
É fogo irmão
É fogo irmão.
(Pois é amigo
Como se dizia antigamente
O buraco é mais em baixo.
E você com todo seu baú
Vai ficar na mais total solidão
E pensando a beça
Que não levou nada que juntou.
Que fossa meu irmão, que fossa.)
Você que não para pra pensar
Que o tempo é curto
E não para de passar
Você vai ver um dia que remorso
Como é bom parar
Ver o sol se pôr ou ver o sol raiar e desligar.
Ver o sol se pôr ou ver o sol raiar e desligar.
(Moça, título, capital de giro, pobre do enês
E tome gravata
Protocolos,
Encomendas,
Caviar,
Champanhe,
E tome gravata
O amor sem paixão
O corpo sem alma
O pensamento sem espírito
E tome gravata
E lá um belo dia com um enfarte
Ou pior ainda
Um psiquiatra)
Você que só faz usufruir
E tem mulher pra usar e pra exibir
Você vai ver um dia
Em que toca você foi bulir
A mulher foi feita pro amor e pro perdão
Cai nessa não.
A mulher foi feita pro amor e pro perdão
Cai nessa não.
(Você por exemplo
Que está aí com a boneca do seu lado
Linda e chiquérrima
Crente que é o ambo senhor do material
E é aí que o distinto está muitíssimo enganado
Mas as vezes ela anda longe
Perdida no mundo livre e confuso
Cheio de canções aventuras e magias
Que você nem sequer toca sua alma
É, as mulheres são muito estranhas
Muito estranhas)
Você que não gosta de gostar
Pra não sofrer não sorrir e não chorar
Você vai ver um dia
Em que fria você vai entrar.
Curse num balaje em baixa escuridão, é fogo irmão, é fogo irmão
Curse num balaje em baixa escuridão, é fogo irmão, é fogo irmão

Compositores: Antonio Pecci Filho / Marcus Vinicius Da Cruz De M. Moraes

Nenhum comentário: