quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Estamos em recesso por prazo indeterminado

Se os parlamentares podem ter recesso por que nós não? 



Este comentário já foi no ar no dia 11 de dezembro de 2019
Veja clicando no link abaixo

Observação: Onde cito última sessão dia 10, entenda, última sessão ordinária dia 9

Recesso da Câmara Municipal de Dracena
Artigo 12 – A Câmara Municipal reunir-se-á anualmente, na sede do Município, de 1º de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro. (alterado pela Emenda n.º 020/10, de 18/05/2010) 

Fonte: Emenda 020/2010 da Lei Orgânica e Regimento interno da Câmara

Recesso parlamentar da Câmara Federal
A sessão legislativa é realizada de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro (Art. 57 da Constituição Federal). Os dias compreendidos entre esses dois períodos configuram o recesso parlamentar.
Fonte: Câmara dos Deputados

Recesso Senado
É a suspensão das atividades do Congresso Nacional, e ocorre nos períodos de 18 a 31 de julho e de 23 de dezembro a 1º de fevereiro. Para haver o recesso de julho é necessário que o Congresso aprove o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).
Fonte: Agência Senado



Comentário do dia - De "rachadinha" a dinheiro na cueca

Habituado a um clima político muito menos acalorado que a Câmara, o Senado encerra 2020 assombrado por turbulências e incertezas quanto ao futuro de alguns de seus 81 congressistas.

No ano que vem, o Conselho de Ética da Casa deve analisar uma série de representações que aguardam análise. Até o mês de passado, mais de dez estavam na fila.

Uma delas diz respeito ao filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). O parlamentar é investigado pelo caso Queiroz, escândalo que tem como pivô o policial militar aposentado Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador à época em ela era deputado estadual no Rio (até 2018).

O pedido de cassação do mandato de Flávio chegou a repercutir em 2020, mas acabou estacionado no Conselho de Ética em razão da paralisação dos trabalhos presenciais devido à pandemia do coronavírus.

Rodrigues flagrado com dinheiro na cueca

Ao longo de 2020, a temperatura no Parlamento também foi elevada por episódios como o do "dinheiro na cueca" de Chico Rodrigues (DEM-RR), então um dos vice-líderes do governo no Senado.

O senador foi alvo de uma operação da Polícia Federal em outubro, em Boa Vista, onde mora com a família, para apurar desvios de recursos destinados ao combate da pandemia de covid-19.

Na ocasião, os agentes da PF flagraram o congressista com R$ 30 mil escondidos dentro da roupa íntima, sendo parte entre as nádegas. Ao todo, a polícia encontrou cerca de R$ 100 mil na casa dele. Ele nega ilegalidade na origem do dinheiro.

Irajá é acusado de estupro por modelo

No mês passado, o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO) foi acusado de ter estuprado uma modelo de 22 anos. Segundo o relato dela à polícia, o crime aconteceu em um hotel no Itaim Bibi, bairro de classe alta na capital paulista, após se conhecerem em um almoço e terem ido a um show.

Durante a noite, segundo a jovem, ela perdeu a consciência e acordou em um flat. De acordo com amigos da modelo, ela afirmou que acordou durante o ato sexual forçado e ouviu Irajá dizendo: "Você é minha" e "Estou apaixonado". O caso é investigado pelas autoridades competentes.

Irajá é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO). Ele alega "total e plena inocência" e afirmou que lamenta "ter sido envolvido nesse enredo calunioso e difamatório".

Com fala de combate à corrupção, Selma é cassada

Conhecida como a "Moro de saias" pelo discurso de combate à corrupção e por ter sido juíza, Selma Arruda (Podemos-MT) se viu fora do Senado em abril após ser cassada sob acusação de abuso de poder econômico e captação ilícita de recursos durante a campanha eleitoral de 2018.

Selma foi cassada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em dezembro do ano passado, mas a Mesa Diretora do Senado só confirmou a decisão em abril.

Enquanto tentava salvar sua vaga no Senado, ela se dizia perseguida politicamente e afirmou que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), queria sua cassação para se reeleger no cargo. Isso porque seu substituto de Mato Grosso, Carlos Fávaro, é do PSD, que apoia Alcolumbre.

Após ficar como interino, Fávaro venceu a eleição convocada para substituir Selma e continuará no Senado até janeiro de 2027.

Amorim Sangue Novo com UOL >>>

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Comentário do dia - Deputado de SP assedia colega em plena sessão da ALESP

Devassidão e baixaria chega à ALESP e deputado agarra e passa a mão na altura dos seios da colega Isa Penna/PSOl que em declaração disse que assédio sofrido na Assembleia "não é um caso excepcional"

No vídeo registrado pela própria ALESP, um deputado tenta impedir seu colega Fernando Cury de ir em direção a Isa, mas ele se aproximou por trás dela e colocou a mão por trás de sua cintura na altura dos seios da colega que, imediatamente repreendeu Cury e gesticulou reclamando da situação.

No vídeo acima a deputada implora ao presidente da casa, Cauê Macris para que o vídeo seja colocado no ar mas o mesmo se recusa.

Veja o momento do assédio:


Veja também: 
Deputada estadual Isa Penna declama poema "Sou puta, sou mulher" na Alesp