domingo, 10 de maio de 2020

Comentário do dia - 10/05/20









Mamãe

Eles vieram

Estão todos ali

Assim que ouviram aquele grito

Ela vai morrer, mamãe

Eles vieram

Estão todos ali

Mesmo os do Sul da Itália

Há até Giorgio, o filho maldito

Com os braços cheios de presentes

Todos os filhos brincam em silêncio

Ao redor do leito sobre os azulejos

Mas suas brincadeiras não têm importância alguma

São um pouco seus últimos presentes

À Mamãe


Ela é aquecida por beijos

Levantam-lhe o travesseiro

Ela vai morrer, Mamãe

Virgem Maria, cheia de graça

Cuja estátua está na praça

Com certeza, estais estendendo-lhe os braços

Cantando-lhe Ave Maria

Ave Maria

Há tanto amor, tantas lembranças

Ao redor de ti, de ti, Mamãe

Há tantas lágrimas, tantos sorrisos

Através de ti, de ti, Mamãe


E todos os homens tiveram tanto calor

Nos caminhos de sol alto

Ela vai morrer, Mamãe

Que bebam fresco o vinho novo

O bom vinho da boa videira

Enquanto se amontoam, em desordem

Nos bancos, lenços e chapéus

É estranho, ninguém se sente triste

Perto da cama de casal, da afeição

Há até um tio violonista

Que toca prestando atenção

À mamãe


E as mulheres, lembrando-se

Das canções tristes dos velórios

Ela vai morrer, mamãe

Baixinho, com os olhos fechados

Cantam como se embala uma criança

Depois de um dia bom

Para que ela sorria ao adormecer

Ave Maria

Há tanto amor, tantas lembranças

Ao redor de ti, de ti, Mamãe

Há tantas lágrimas, tantos sorrisos

Através de ti, de ti, Mamãe

Que nunca, nunca, nunca

Tu nos abandonarás



Nenhum comentário: