sábado, 14 de março de 2020

Caso Higor Tossato: Jornalista entra com pedido de Informação e Providências do MP

Imagem ilustrativa

Exmo. Sr. Dr. Promotor de Justiça da 1ª Promotoria de Justiça de Dracena


Informação e Pedido de Providências

Clovis da Silva de Amorim, brasileiro, casado, jornalista (Mtb 59858), residente à Rua Spinardi, 1364 – Vila Lucélia, Dracena/SP, devidamente cadastrado no CPF sob nº 455.868.888-15, abaixo assinado, na qualidade de morador dracenense, venho, com o devido respeito perante Vossa Excelência, relatar e pedir o quanto segue:

1)    Conforme é público, notório e de ampla divulgação pela mídia local e regional, foi “vazado” áudio em que o vereador de Dracena Higor Tossato dialoga com um morador de Dracena para que o mesmo providenciasse o quebramento das pernas do repórter Davi Silva, do Jornal Interativo, prometendo, como pagamento para tal, a quantia de R$ 1 mil que seria paga pelo prefeito, não especificando de qual cidade.
2)    Segundo também amplamente divulgado pela mídia local e regional, em depoimento perante a Autoridade Policial local sobre o caso, na última sexta-feira (06/03), o vereador Higor Tossato teria dito que toma remédios “tarja preta”, que “esquece as coisas” e que tudo isso teria sido uma “brincadeira”, sendo que a última assertiva (brincadeira) foi aparentemente desmentida pelo depoimento do contratado (testemunha) e com o qual o vereador dialoga no áudio “vazado”, o qual também informou que o vereador teria ido até a sua casa, na manhã da referida sexta-feira, pressioná-lo para não depor a respeito de nada que o pudesse prejudicar.
3)    Tais fatos são de uma gravidade ímpar e indescritível, motivo pelo qual o peticionário que esta subscreve requereu à Câmara e à Prefeitura Municipal local a tomada urgente de providências, conforme cópia anexa.
4)    Ocorre que, no dia de hoje (12/03), tornou-se público e notório que o referido vereador teria pedido “afastamento por motivo de saúde”, o que beira o escracho e o deboche diante das autoridades competentes e da própria comunidade local, visto este ser expediente “normal” nesse tipo de caso (rumoroso) no intuito de “esfriar” as coisas.
5)    Diante de tais fatos absurdos e gravíssimos, requeiro a Vossa Excelência a tomada das providências legais e necessárias contra quem de direito.

Sem mais para o momento, atenciosamente subscrevo-me e reitero-lhe protestos de elevada estima e distinta consideração.

Dracena, 12 de março de 2020.


______________________

Clovis da Silva de Amorim 

Nenhum comentário: