sexta-feira, 1 de novembro de 2019

O poema nosso de cada dia


Andarilho

"Na companhia de outros
Quem sabe o nome direito
Mais é fiel na partilha
Do pão do vício do leito
Sem lembranças do passado
Das virtudes dos defeitos
Sem família e sem casa
É uma ave sem asas
Que caminha satisfeito

Não sabe de onde veio
A terra onde nasceu
Quem foram os teus amigos
Que ambiente cresceu
Não sabe escrever o nome
Nenhuma palavra ele leu
Mais crê que lá no infinito
Existe um senhor bendito 
Que ele o chama de Deus

Um dia ao nascer foi igual
A todo ser que nascia
Homem, mulher, perfeito
Que chorou e causou alegria
Mais tarde saiu pelo mundo
Levado por más companhias
Se hoje dorme na rua
Talvez a culpa foi sua
Más se é feliz quem diria

O andarilho caminha 
Sem rumo sem direção
Sem ter lugar prá chegar
Sem nenhuma preocupação
Se vai fazer sol ou chuva
Se tem almoço ou não
Mas acredita em milagres
Pois sabe que cedo ou mais tarde
Alguém lhe dará o pão

O andarilho é humilde
Disso eu tenho certeza
Sem casa, sem carro sem bens
O que tem é a natureza
É filho do dono do mundo
Detém a maior riqueza
É rico sem vaidade
Nada o prende, tem liberdade
Come o pão e não tem mesa"

Autor: Dirceu Casagrande
Imagem ilustrativa: Google


Nenhum comentário: