terça-feira, 24 de setembro de 2019

Jean Wyllys dá “aula de jornalismo” para Lacombe, que defendeu Witzel para justificar ação da PM


Ernesto Lacombe tentou minimizar as críticas ao governador do RJ no caso do assassinato da menina Ágatha e Jean Wyllys, que também é jornalista, rebateu: "O sujeito que deveria ter uma visão mais sofisticada da complexidade da violência e do tráfico de drogas ilegais destila um senso comum rasteiro e exibe uma imaginário racista"
O ex-deputado federal Jean Wyllys usou sua conta do Twitter, na noite desta segunda-feira (23), para dar uma “aula de jornalismo” a Ernesto Lacombe, apresentador do “Aqui na Band”, da TV Bandeirantes. Mais cedo, ao comentar o caso do assassinato da menina Ágatha, vítima de um tiro de fuzil supostamente disparado pela polícia no Complexo do Alemão (RJ), Lacombe saiu em defesa do governador Wilson Witzel e minimizou as críticas com relação à atuação da polícia.
“É muito complicado a gente acusar sempre a polícia”, disse, pouco antes de ser “detonado” por sua companheira de bancada, Silvia Poppovic.
“O abismo em que o Brasil se encontra – do qual a morte da garotinha Ágatha é a expressão mais dolorosa – em parte foi cavado pela mediocridade intelectual e pelos preconceitos de jornalistas como Ernesto Lacombe. Ainda bem que há uma Sílvia Poppovic para contrapor!”, escreveu Jean Wyllys ao abrir uma sequência de tuítes sobre o caso.
Jean, que além de professor e escritor, também é jornalista, disse que o colega de profissão, que goza de privilégios como “acesso a fontes de informação de qualidade e científicas”, deveria ter uma visão “mais sofisticada” sobre o ocorrido. Para o ex-deputado, Lacombe apresentou, no entanto, “um senso comum rasteiro” e um “imaginário racista”.
“Lacombe diz que os “traficantes estão ACASTELADOS nas comunidades”. Não, Lacombe, os barões do tráfico – e do mercado de armas – estão ACASTELADOS (realmente) no Leblon, em Ipanema, nos condomínios de Luxo da Barra da Tijuca e Recreio. Ou em Miami”, explicou o escritor baiano.
“Os que fazem o ATACADO do tráfico de drogas ilegais, Lacombe, fazem isso usando o avião presidencial, aproveitando uma viagem internacional do presidente. Ou você já se esqueceu desse fato? Eu posso te assegurar que esses traficantes, sim, estão ACASTELADOS!”, completou Jean, que seguiu expondo as fragilidades nos argumentos de Lacombe.
Para o ex-deputado federal, “o que se espera de um jornalista de fato é que ele vá um pouco além do senso comum”. “Mas você, Lacombe, está aquém. Seu comentário foi medíocre, desinformado, preconceituoso e nefasto”, avaliou Jean.
Ao final, Jean Wyllys ainda fez uma provocação: “Quando você tomar seu copo de uísque ou seu espumante ou mesmo seu Rivotril ou seu viagra, Lacombe, lembre-se que se essas drogas fossem ilegais hoje, você estaria sendo tratado como criminoso pelo simples fato de querer exercer uma liberdade com segurança”.
Postado originalmente na Revista Fórum

Nenhum comentário: