sexta-feira, 22 de março de 2019

Alô, Querido !!!

Bemvindo Sequeira e o telefonema para o incógnito

Comentário do dia – 22/03/19 - II

Com 4 décadas, esquema de Temer é mais velho que Marcela

No começo dos anos oitenta, Michel Temer era recém-filiado ao MDB. Em 1983 – o mesmo ano em que nasceu a sua atual esposa, Marcela – ele se tornou procurador-geral do estado de São Paulo, o primeiro passo de relevo na sua carreira política. Desde então, passou pela Assembleia Constituinte e pela presidência da Câmara dos Deputados, do seu partido e da República. E, durante todas essas quatro décadas, foi líder de uma organização criminosa responsável por movimentar R$ 1,8 bilhão provenientes de órgãos públicos.

Essa é, ao menos, a acusação do Ministério Público Federal para pedir a prisão de Temer – o ex-presidente está desde ontem (21) à noite encarcerado na Superintendência da Polícia Federal, no Rio de Janeiro. Foram presos também um seu amigo de longa data, o coronel João Baptista Lima Filho, e o ex-ministro Moreira Franco (MDB), sogro de Rodrigo Maia (DEM) e, até ontem, o único ex-governador eleito do Rio de Janeiro vivo que ainda não tinha passagem pela prisão.
 (Felipe S. Koller na Gazeta do Povo)

Comentário do dia – 22/03/19 - I

O puxasaquismo de Maia em relação a Bolsonaro é público e notório

Rodrigo Maia e Sergio Moro estão batendo de frente, em relação ao projeto anticrime do ministro da Justiça, sendo que o presidente da Câmara chamou o projeto de um “copia e cola”, o que eu chamo de Control C, Control V. Maia também disse que Moro eum “funcionário de Bolsonaro”, o que não deixa de ser verdade, contudo o que Maia se esquece é que mesmo está se tornando um capacho do presidente da República, principalmente ao que tange à Reforma da Previdência, fato este que pode ter dado origem a desavença entre ambos visto que o Maia está dando preferência è Reforma em detrimento projeto de Moro
(Amorim Sangue Novo)

quinta-feira, 21 de março de 2019

Michel Temer é preso pela Lava Jato; PF faz buscas por Moreira Franco

Mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Procurada pela G1, a defesa do ex-presidente não atendeu.

O ex-presidente Michel Temer foi preso em São Paulo na manhã desta quinta-feira (21) pela força-tarefa da Lava Jato. Os agentes ainda tentam cumprir mandados contra Moreira Franco, ex-ministro de Minas e Energia e mais seis pessoas, entre elas empresários.

Preso, Temer será levado para o Aeroporto de Guarulhos, onde vai embarcar em um voo e será levado ao Rio de Janeiro em um avião da Polícia Federal. O ex-presidente deve fazer exame de corpo de delito no IML em um local reservado e não deve ser levado à sede da PF de São Paulo, na Lapa

Leia a matéria completa clicando aqui >>>

Comentário do dia - 21/03/19

"Como pode existir “grupos professando religiosamente um movimento contra a vacinação”?

Parece comédia, mas é notícia: O político Massimiliano Fedriga, presidente da região autônoma de Friuli-Venezia Giulia e um dos principais defensores do movimento antivacinas na Itália, ficou cinco dias internado no hospital após contrair catapora, depois da internação no hospital, ele declarou que mudou de opinião, porém o que não consigo entender é como pode existir “grupos professando religiosamente um movimento contra a vacinação”
(Amorim Sangue Novo)

Por que o movimento antivacina não tem um pingo de sentido
Reflexões e argumentos para demolir um fenômeno sem base científica, mas que se populariza por aí e ameaça as conquistas da vacinação
Você consegue imaginar um mundo sem vacinas? Pois essa realidade não é tão antiga assim. Vamos voltar no tempo, lá para o início do século 20. Naquela época, uma em cada cinco crianças morria de alguma doença infecciosa antes de completar 5 anos de idade.
Hoje parece que a gente não faz ideia de quão cruéis eram essas moléstias. E mal podemos imaginar a dor de perder nossos filhos para enfermidades que atualmente são passíveis de prevenção por meio de imunizantes. Quem é que morre de sarampo ou caxumba hoje em dia?
Graças às vacinas, doenças terríveis e altamente contagiosas foram quase erradicadas. Algumas, como a varíola, de fato sumiram do mapa.
Como explicar, então, que existam grupos professando religiosamente um movimento contra a vacinação? Como entender que temos por aí famílias que deliberadamente escolhem NÃO vacinar seus filhos contra males potencialmente letais e capazes de deixar sequelas? Pois é, o movimento antivacina vem crescendo no mundo todo, inclusive no Brasil. Justo em nosso país, que sempre foi exemplo internacional de um modelo de vacinação pública.

Postado originalmente no Saúde.Abril