quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Deputados querem criar “Dia de oração pelas autoridades da nação”

“Deputados querem dia para orar pelo presidente Bolsonaro
Começou a tramitar na Assembleia Legislativa projeto de lei dos deputados Reinaldo Alguz e Chico Sardelli, ambos do PV, que institui e inclui no calendário oficial do estado de São Paulo o "Dia de oração pelas autoridades da nação". Na prática, a proposta determina que, na 3ª segunda-feira de cada mês, o “povo passe orar e não criticar as autoridades constituídas no estado e por toda a nação brasileira”, inclusive o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“É comum ouvirmos críticas e condenações verbais a respeito de nossos governantes e políticos em geral. A bíblia sagrada fala que toda autoridade é levantada por Deus, mesmo aquelas que nos fazem perecer. A palavra de Deus também fala para orarmos pelas nossas autoridades para que elas exerçam um governo justo e estratégico, para que promovam o bem de todos e a nação prospere”.Postado originalmente no Web Diário – Título Amorim Sangue novo


Leia também:
"Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver um vida calma tranqüila, com toda a piedade e honestidade.  (1 Timóteo 2:1-2) –  Admoesta-os a que sejam submissos aos magistrados e às autoridades, sejam obedientes, estejam prontos para qualquer obra boa, não falem mal dos outros, sejam pacíficos, afáveis e saibam dar provas de toda mansidão para com todos os homens. Porque também nós outrora éramos insensatos, rebeldes, transviados, escravos de paixões de toda espécie, vivendo na malícia e na inveja, detestáveis, odiando-nos uns aos outros. Mas um dia apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador, e o seu amor para com os homens. (Tito 3:1-4)"
https://igrejamilitante.com/2012/12/20/toda-autoridade-na-terra-vem-de-deus/


terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Alckmin e Bragato abdicam de mordomias e benefícios



“À noite, duas vezes por semana, o presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, surpreende os vizinhos ao circular sozinho pelo Caxingui, bairro onde mora em São Paulo.

Com uma pilha de apostilas debaixo do braço, segue até a unidade Wise Up da avenida Jorge João Saad, no Morumbi, ao lado de casa, escola que escolheu para afiar o inglês.

Escolado no contato com o povo, Geraldo entra no Bar do Português, tradicional reduto de são-paulinhos na região, cumprimenta garçons e fregueses e segue em frente, caminhando.

Uma hora e meia depois, volta na mesma toada.

Não por acaso Geraldo tem circulado sozinho pela cidade.

Pessoas do seu círculo íntimo juram de pés juntos que ele renunciou às mordomias a que teria direito como ex-governador – aposentadoria especial, segurança, motorista particular, entre outras.

Esses mesmos amigos falam que a Uninove estourou o teto salarial para receber o novo professor de “gestão pública” da instituição: o salário de Geraldo na universidade será de R$ 40 mil.”

Da redação com DCM

Matéria relativa:
Bolsonaro atestou 40 horas semanais de filha de Queiroz que era personal trainer em outro estado >>>

Do fundo do bau - A noite do meu bem - Dolores Duran