terça-feira, 20 de agosto de 2019

Vereador de Panorama, Edemir Vermelho envia carta de renuncia à Câmara local

Em mensagem enviada através de rede social, hoje (20/08) às 20 hs e 21 minutos o vereador Edemir Vermelho comunicou a sua renúncia ao cargo de vereador na cidade de Panorama. Veja imagem abaixo:

Deputado estadual Ed Thomas destina quase R$ 3 milhões para a saúde em sete meses de 2019


"Quase R$ 3 milhões é o valor dos recursos estaduais destinados pelo deputado estadual Ed Thomas (PSB) em apenas sete meses de 2019, somente para a área da saúde, beneficiando santas casas, Apaes, hospitais beneficentes - dinheiro para custeio dos serviços prestados e manter atendimento, reformas e compra de equipamentos, além das prefeituras do Oeste Paulista para a aquisição de ambulâncias (veículos de porte médio e Vans) e prédios de UBS. Desde o começo deste ano, foram entregues ambulâncias (vans) para Planalto do Sul, R$ 70 mil; Pirapozinho, R$ 80 mil; Dracena, R$ 100 mil; Presidente Epitácio, R$ 80 mil; Flora Rica, R$ 150 mil; Martinópolis, R$ 130 mil; Santa Mercedes, R$ 150 mil; Sto. Expedito, R$ 80 mil e Piquerobi, R$ 80 mil, além de Narandiba, R$ 50 mil (veículo), totalizando R$ 970 mil. Estes valores somados aos convênios assinados nesta segunda-feira (19/8), em Presidente Prudente, contemplando: Regente Feijó (Apae), Caiuá, Euclides da Cunha Paulista, Flórida Paulista, Indiana, Martinópolis (Santa Casa e prefeitura), Nantes, Paraguaçu Paulista, Pirapozinho, Quatá, Rancharia, Salmourão, Taciba, Teodoro Sampaio, Presidente Bernardes (santa casa), Mirante do Paranapanema, Borá, Bento de Abreu, Santópolis de Aguapei, Clementina e Castilho, ainda da prefeitura de Presidente Prudente contemplada com Emenda de R$ 150 mil para a compra de equipamentos para o Centro de Referência de Fisioterapia, do Jardim Everest, de R$ 1 milhão 984 mil, totalizam R$ 2 milhões 954 mil. “É minha obrigação, trabalhar para que hajam investimentos em todos os setores, mais a saúde é uma das minhas prioridades”, finalizou Ed Thomas, reforçando que continua empenhado buscando mais investimentos para que o Oeste Paulista se desenvolva de maneira que todos/as tenham oportunidades de crescimento, com geração de emprego e renda, segurança, educação e empreendedorismo."
Texto original da assessoria do deputado Ed Thomas
Foto da assessoria editada pela nossa redação

 

 


Paulo Pimenta: por que Lei Cancellier?



Em entrevista exclusiva à TV Afiada, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), líder da bancada petista na Câmara (e não "câmera", ok, Conge?) fala sobre a nova Lei de Abuso de Autoridade, aprovada no último dia 14/VIII por 342 votos contra 83.
O texto original foi apresentado pelo senador Roberto Requião (MDB-PR) em 2017.
A lei impõe limites a atos cometidos por servidores públicos, membros do Legislativo, Executivo e Judiciário, do Ministério Público, tribunais e Forças Armadas.
E agora?
O que poderá ser considerado abuso de autoridade?
O deputado Paulo Pimenta explica.
E também fala porque propôs batizar a nova lei de "Lei Cancellier".
Quem, afinal, foi Luiz Carlos Cancellier?

Prá ser gay precisa ser muito homem



Douglas Garcia: “Na direita existem mais gays do que na esquerda

Deputado gay autor de frase transfóbica na Assembleia de São Paulo, defende Bolsonaro e acesso a armas para a população. 

O deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), 25, é um homem que convive com contradições. Assumiu-se gay no início de abril, faz declarações transfóbicas e apoia 
Jair Bolsonaro, um presidente conhecido por suas declarações homofóbicas que, no entanto, não o impediram de receber votos do público LGBT. Ele é a favor de privatizações e cortes no orçamento estadual, mas é egresso do Projeto Guri, que quase foi fechado pelo goverrnador João Doria (PSDB).
Nascido na comunidade conhecida como Buraco do Sapo, em Americanópolis, zona sul de São Paulo, Garcia coleciona polêmicas mesmo antes de ser eleito em 2018 com 74.351 votos. Em fevereiro daquele ano o jovem militante do movimento Direita São Paulo, considerado mais conservador do que o Movimento Brasil Livre, tentou colocar seu bloco na rua durante o Carnaval. Criador do Porão do DOPS, o jovem quis homenagear no desfile um dos mais notórios centros de 
tortura da época da ditadura.
A Justiça não deixou. “Nossa ideia era contrapor nosso bloco ao bloco Soviético, que homenageava um regime que matou milhões de pessoas”, diz. O deputado recebeu o EL PAÍS em seu gabinete. 

Leia a entrevista completa clicando aqui >>>

Leia também:
Bolsonaro defende pena maior paraagressões contra gays >>>
Quem são osagressores de homossexuais >>>